Capa >> Arquivos de Tag: Consoles

Arquivos de Tag: Consoles

3

GameNews #17 – Qual é o melhor console da nova geração? Xone ou PS4?

Os integrantes do GameNews, Cido Coelho, Eduardo Moska e Leandro Garcia entraram na nova geração e discutem as primeiras impressões sobre o PlayStation 4 e Xbox 360.

GameNews é produzido pela aliança do NoReset, GameReport e LevelGamer.

OUÇA AGORA! =)

TEMPO DO EPISÓDIO: 16:32

PlayStation 4 supera Xbox nas vendas

Segundo a Sony, a companhia vendeu 4,2 milhões de unidades do videogame PlayStation 4 até o final de dezembro de 2013. Já a Microsoft afirma que desde o lançamento da nova geração do Xbox, em novembro de 2013, as vendas alcançaram a marca de 3 milhões de unidades em todo o planeta.

PS4k: a Sony diz que ‘está frustrada pelos R$ 4 mil’

Após o preço do PlayStation 4 brasileiro se tornar piada mundial, a Sony, por meio do Mark Stanley, respondeu no blog oficial do console que vai explicar os motivos do preço absurdo no mercado nacional.

Leia a mensagem:

“Obrigado a todos vocês que compartilharam seus comentários sobre o alto preço do PS4 no Brasil. Nós também estamos frustrados com o preço de $4.000 reais, e em breve vamos poder mostrar as razões. Obrigado pela sua paixão e fiquem ligados para mais informações.”

20131020-210134.jpg

Há rumores que o console da Microsoft foi classificado no Ministério da Fazenda brasileiro como central multimídia, enquanto o console da Sony está definido como um videogame. Por isso, a diferença monstruosa de preço entre os consoles. É provável que a Sony jogue no ventilador a situação.

Isso pode provocar um terremoto no mercado de Games, empurrando o preço do Xbox One para a casa dos 3 mil reais. Ou seja, você vai gastar por baixo 7 mil reais, só em consoles, para ter a nova geração em casa. Vamos esperar os próximos capítulos.

[BALANÇO/ANÁLISE E3 2013] Nova geração aposta em novos modelos de mercado

A Electronic Entertainment Expo (E3) edição 2013 encerra com três modelos de negócio para a nova geração. As três principais fabricantes de consoles do mercado de games adotaram estratégias distintas para conquistar o gamer. É possível perceber que apesar algumas similaridades temos posições definidas para o mercado da próxima geração. Veja os principais pontos entre Microsoft, Nintendo e Sony.

Microsoft radicaliza e aposta no DRM, com o console plenamente conectado

xboxbalancoe313

Temos a Microsoft que aposta em vários jogos próprios, exclusivos, nova franquia, um novo console baseado na com gráficos cada vez mais realistas, que são criados em tempo real. Porém, a empresa norte-americana aposta num novo modelo de negócio para o seu console, o uso online e o polêmico DRM como base do sistema.

Ou seja, para jogar você terá que manter a internet conectada, pelo menos uma vez a cada 24 horas para que os jogos sejam rodados normalmente. Haverá limitações para emprestar jogos, outros não poderão ser emprestados, muito menos emprestados para um amigo. Isso está claro no site oficial do Xbox: ‘Alguns jogos não transferíveis e não têm nenhum valor de revenda, restrições sobre o uso de jogos aplicáveis’.

Além disso, ela aposta em mais conteúdo de TV e filmes – consumo de tela -, o dono do Xbox One terá uma ‘nova experiência em ver televisão’, terá muito conteúdo e o aparelho não será apenas ‘um videogame’, e sim, uma plataforma de entretenimento — o videogame vem junto.

Dentro da lista de países suportados, como o Brasil, por exemplo, que não tem uma boa infraestrutura de internet, o Xbox One pode não funcionar corretamente, ou seja, um console será uma bela peça na estante da sala quando o sinal de internet cair por causa da chuva.
Os consumidores de videogames, gamers, não simpatizaram com as novas investidas para o Xbox One.

A Microsoft tentou responder as fortes e ácidas críticas no mesmo nível. Dom Mattrick, da divisão Xbox, disse em entrevista à Spike TV que a empresa tem “um produto para quem não tem internet chamado Xbox 360”. Ele ainda completa: “Se você não tem acesso à internet, o 360 é um dispositivo offline”.

Enfim, a empresa quer mudar a cultura e o ecossistema do mercado de jogos já estabelecido. Talvez o momento de mudar radicalmente não seja agora, nesta geração. Uma por falta de tecnologia e infraestrutura, outra questão é que ainda o mercado não está 100% digital. O preço em dólares US$ 599, no Brasil o valor oficial é R$ 2,200.
 

Sony conquista público e mercado ao não adotar o DRM e conexão permanente

ps4analisee3

 
A Sony partiu para um marketing agressivo, direto. Apresentou a ‘face’ da quarta geração do PlayStation, com um design diferente, mais ‘inclinado.

Porém, o que provocou inércia aos jogadores é que com 0 passar do tempo, a Sony corrigiu a experiência anterior do PlayStation 3, que assustou muita gente com um preço muito caro e sombrio do console, o que provocou a antipatia dos gamers contra a industria japonesa de eletrônicos. Sem deixar de recordar que recentemente a Sony ainda teve problemas com a invasão na rede PSN, o que arranhou a imagem da corporação.

A Sony retrabalhou para reconquistar os fãs o PlayStation 3 ultrapassou o Xbox 360 nas vendas no final da atual geração.O PlayStation 4 também é um console poderoso, com gráficos quase realistas, com um sistema de produção de imagens em tempo real interessante, porém, a Sony pode ter percebido que ainda não é possível ter um mercado 100% digital. O console terá a força do conglomerado Sony (com sua TV e a Sony Entertaiment Pictures, dona dos estúdios Columbia) transformando a plataforma em uma distribuidora de filmes e conteúdo para TV.

Mesmo assim, os executivos da divisão PlayStation não cansam de repetir: o PlayStation 4 é um console de videogame, com um sistema de entretenimento e será mais integrado ao PS Vita. A empresa abriu mais espaço para as produtoras independentes, elas poderão criar seus jogos e publicar diretamente na rede PlayStation Network. A Gaikai, qual a Sony comprou recentemente fará o papel da retrocompatibilidade com o PS3, com um pequeno custo.

Por isso, no final da conferência, como a internet cita que foi o ápice da glória da Sony, foi quando Jack Tretton, explicou que os jogos continuarão com o tradicional mercado de jogos – o que você comprou é seu, faça o que bem entender, só não copie os direitos, porque confiamos em você, cliente – e o PS4 também é um videogame offline. O ponto que não ganhou tanta simpatia é que agora para jogar online, terá que pagar a PlayStation Plus. Porém, esse ponto aparentemente foi suprimido pela ‘opinião gamer’ após a conferência da Sony provocando uma empolgação em massa.

Nintendo segue conservadora e tradicional

wiiuanalisee3

Já a tradicional e poderosa fabricante de jogos japonesa Nintendo foi a companhia mais conservadora. Preparou a já tradicional transmissão via Japão do Nintendo Direct durante a E3, que durou cerca de 40 minutos e focou na apresentação dos jogos.

Pois, o Wii U que já inaugurou a nova geração de consoles, apesar de ainda não ter empolgado os gamers, tenta conquistar os jogadores apostando em suas próprias franquias como Mario, Yoshi, Zelda, Donkey Kong, Pokemon, e Smash Bros, com gráficos mais belos, uma aparência mais bonita, prometendo mais diversão ao seu público tradicional.

O console ficou um pouco mais hardcore, promete jogos mais violentos e até exclusivos, como o caso de Bayonetta 2. No entanto, os japoneses não deram o tom da inovação como já fizeram algumas vezes, caso do antecessor Wii. O 3DS também teve o foco mantido em novos jogos.

A Nintendo não terá um videogame crossplay, como o PS4 e XOne, não terá armazenamento na nuvem, permite o jogador jogar de graça na internet, não cobrará taxa para jogos usados, nem restrições para uso e empréstimo de jogos aos amigos, não tem sistema de assinatura para jogar online e ainda tem o console mais barato. A empresa quer mostrar ao mercado que é apenas uma fabricante de videogame com algum sistema de entretenimento embutido.

A nova geração começou.
 

[NEXT GEN] Compare os sistemas PlayStation 4, Xbox One e Wii U

Dados PlayStation 4 Xbox One Wii U
Preço em dólares US$399.99 
US$499.99 US$349.99/US$299.99
Lançamento Entre novembro e dezembro Novembro Disponível no mercado
Drive Blu-ray/DVD 
Blu-ray/DVD
25GB Optical Disc (proprietário)
Gravação de gameplay Sim
Sim 
Não
RAM 8GB GDDR5
8GB DDR3 
2GB DDR3 
CPU Single-chip x86 AMD “Jaguar” processor, 8 cores
8 Core Microsoft custom CPU
Multi-Core PowerPC “Espresso” CPU 
Armazenamento 500 GB
500 GB
8GB ou 32GB Flash
Armazenamento externo Não informado Via USB 
Via USB
Armazenamento na nuvem Sim, por PSN Sim, por Live Não
Instalação de jogos Não
Sim Não
Exige internet para jogar Não
Sim Não
Taxa para jogos usados Depende das Third Parties, vendas ilimitadas de jogos Depende das Third Parties, uma venda por cópia Não
Retrocompatibilidade PlayStation 3 via Gakai 
Não
Sim, Wii
Cross Game Chat Sim
Sim Não
Controle por movimentos DualShock 4, PlayStation 4 Eye(não incluso), PlayStation Move (não incluso) Kinect 2 Wii Remote, Wii U GamePad (incluso)
Second Screen (Segunda Tela) PlayStation Vita 
Xbox SmartGlass
Wii U GamePad
Comandos de voz Sem informações Sim
Não
Jogar online por assinatura PlayStation Plus 
Xbox Live Gold
Não
Sistema USB USB 3.0 
USB 3.0 
USB 2.0
Transmissão ao vivo (Streaming) Sim Sim Não
Trofeus e conquistas Troféus serão levados ao PS4 Achievements serão levados ao Xbox One
Não
Conexão web Ethernet, IEEE 802.11 b/g/n
Gigabit Ethernet, IEEE 802.11 b/g/n WiFi 
IEEE 802.11 b/g/n WiFi, LAN via USB dongle
Sistema Bluetooth Bluetooth 2.1 (EDR)
Não Bluetooth Support 
A/V HDMI (4K Support) , Analog (Component, RCA), Optical output
HDMI input and output (4K support), Optical output
HDMI out, Component/ Composite out
Trava de Região Não Sim Sim
Lançado no Brasil Não Sim Não
Preço no Brasil Não R$ 2199,00 Não 
Lojas virtuais PlayStation Store                                                             
Xbox Market Place Nintendo eShop
Fábrica no Brasil Sim Sim Não

[ANÁLISE E3 2013] Temos um vencedor na nova geração?

Após o anuncio das grandes empresas dessa geração, eu continuo me perguntando: Por que temos um vencedor antes do início da geração? É estranho pensar que estamos simplesmente comemorando por uma coisa que foi feita exatamente para ir contra a concorrência. Nada além daquilo foi falado e o que me preocupa é esse silêncio de outros pontos.

O que a Sony fez foi algo simples: geração PS3/Xbox 360/Wii deixaram a fama de estar no topo subir a cabeça e enfiaram de tudo no console, achando que, como a base de fãs era enorme, todos se manteriam fiéis, mesmo que precisassem pagar muito mais caro por um console. Resultado: Se ferraram feio no início e quase não se recuperaram das decisões burras tomadas. O que estamos vendo é apenas o eco do acontecido, com a empresa que tomou o topo das vendas. Não é nada novo, não é uma revolução. É apenas aquilo que sempre acontece.

Vamos retroceder mais ainda: Nintendo 64. Aquela foi à época da Nintendo de se tornar vaidosa e cair feio. Apesar disso, ela continuou no páreo. A diferença daquela época para atual é o fato de poder implementar mudanças agora a qualquer momento, bastando apenas uma atualização e um anúncio mundial ou algo que valha.

Não temos porque comemorar algo desse tipo. Não faz sentido. Ando olhando os fóruns e as postagens por ai e vendo o quanto as pessoas querem que a Microsoft não venda nada quase ou fique capenga. De verdade? Quer mesmo que tenhamos apenas uma grande no páreo, para não existir competição, você podendo apenas escolher a cor da embalagem?

Quem eu escolho para próxima geração? Por enquanto, nenhuma. Se a Sony BR aproveitar a vantagem e rever sua política de Percentual de Lucro, ela vai vender bem mais, observando o preço inicial do Xbox One (R$ 2.199,00). Como falei no início, ainda tem muita água a rolar e ainda tem muita decisão para ser tomada. Então, amiguinho, não fique espalhando o ódio a toa por ai.

[E3 2013] Consoles Bold, Itálico e… Comic Sans

20130611-200714.jpg

[Opinião] Uma discussão sobre a nova geração dos consoles

Olá, nobres amigos fãs de games.

Aqui quem vos escreve é o Fernando Moraes, novo integrante do NoReset, se apresentando para iniciar seus trabalhos.

Talvez alguns me conheçam do Level Mais, pois sou o Fedaykin. Espero que as pessoas recepcionem bem a ideia de autores diferentes, mesma pessoa. Minha ideia inicial é escrever sobre videogames em geral e, quem sabe, auxiliar na parte de notícias escritas. Digo isso, pois, minha intenção inicial na nova casa é trazer um formato diferente dos aqui existentes, com um podcast semanal (se me for possível) sobre um resumo do que aconteceu no mundo dos games. Porém, a melhor forma de iniciar alguém em algum lugar é com um texto, então vou dessa forma.

Como tema, escolhi algo que está quente e fresca na cabeça de todos: A nova geração dos consoles. Como estamos a pouco tempo passado da conferencia misteriosa que a Sony promoveu, achei digno usar algumas linhas para falar sobre esse tema.

Para todos nós que possuímos um console da atual geração, sabemos que inovação gráfica não é o que garantirá a próxima geração. A não ser que transformem os consoles em mini PCs, na qual você poderá realizar upgrades, não faz sentido tentar competir com esse quesito que tem um campeão eterno: o próprio PC. Também não trará um novo modelo de rede: Live e a PlayStation Network (PSN), acredito eu, estão na idade perfeito de maturidade. O que pode trazer um grande diferencial em qual console as pessoas escolherão será, na minha opinião, uma integração maior entre sensores de movimento e games. Sei que em alguns jogos dessa geração isso foi tentando, mas essa tecnologia ainda não era madura o suficiente para tal utilização. O Kinect foi um dos investimentos que deram mais certo, pois é muito mais raro alguém querendo comprar um PlayStation Move (eu não conheço ninguém que tenha) do que um Kinect.

Entrando em miudezas: A Sony precisa apostar mais no PS Vita, que está amargurando em um canto por não ter uma boa biblioteca (problema sofrido também pelo PSP) e dar uma revisada na sua rede online. Falo sem certeza de causa, visto que tenho um Xbox 360. Fontes afirmam a existência de uma trava para jogos usados no Orbis (apelido do próximo console). Isso já é uma velha discussão, que sempre gira a favor dos produtores e completamente contra os compradores. Com os atuais preços que pagamos pelos jogos, essa é uma medida de proteção caduca e falha. Após algumas entrevistas, essa possibilidade é remota, mas nunca é bom acreditar demais. Uma encrenca que vem comigo desde o PlayStation One é o Dualshock. Não consigo gostar daquele layout, é uma configuração muito bizarra para mim.

A Microsoft precisa alterar a visão quanto ao preço dos games na Live, pois pagar quase o preço do game físico em uma versão digital é meio tenso (paguei 60 pratas no meu Red Dead Redemption, mídia física, depois que vi a versão digital por 189), além de permitir uma integração maior de acessórios. Exemplo: Meu Lifechat LX 3000 poderia muito bem servir como headfone para os games do 360, afinal é da Microsoft também. Além do mais, algumas informações sobre o Projeto Durango (apelido do próximo console) indicam que, para jogar, será necessário um sistema de DRM parecido com o da Ubisoft: Online direto. Espero não ser real essa possibilidade, mas vai saber.

Pretendia falar também dos consoles mais indies, mas seria uma queima de pauta para o podcast, então espero que tenha sido uma ótima introdução do meu modo de pensar e de conversar com as pessoas. Querendo trocar ideias, estou inteiramente a disposição. Só procurar meu Twitter (@_fedaykin) ou no CaraLivro (Fernando Moraes). Um abraço e até a próxima.

Wii U, PS3 e Xbox 360 terão Resident Evil Revelations

A Capcom confirmou Resident Evil Revelations para Xbox 360, PlayStation 3 e para o Wii U no dia 21 de maio na América do Norte, e dia 24 de maio na Europa. O título também estará disponível via download PS3 e PC por US$ 49,99 em 21 de maio. Logo depois, as versões digitais para Xbox 360 e Wii U serão disponibilizadas. No Brasil ainda não há data de lançamento.

O jogo, que ficou muito popular no portátil Nintendo 3DS, agora terá versão HD e efeitos de iluminação melhorados para os consoles. A nova versão de Revelation terá conteúdo adicional e o um novo inimigo vai dar as caras. O novo Residente Evil terá um novo modo de dificuldade e melhorias para o modo Raid, como novas armas, conjuntos de habilidades e a oportunidade de jogar com o Hunk e outros personagens da série.

No modo Raid, que estreou na série na versão original de Resident Evil Revelations, é possível jogar online cooperativo em single player, derrotando vários de inimigos em diversas missões enquanto evolui seus personagens e conquista melhorias para as armas.

O título Revelations conta os eventos que aconteceram entre Resident Evil 4 e 5, mostrando a verdade sobre o vírus T-Abyss. Os tradicionais Jill Valentine, Chris Redfield e seus parceiros da BSAA, Parker Luciani e Jessica Sherawat dão as caras no jogo.

A ação começa a bordo de um navio aparentemente abandonado, o ‘Queen Zenobia’, onde o horror espreita a cada canto, e depois os jogadores são levados para terra firme, para a devastada cidade de Terragrigia. Resident Evil Revelations será compatível ao Residentevil.net, oferecendo conteúdo já no lançamento do jogo.

Desde o dia 24 de janeiro, os jogadores podem se pré-cadastrar no serviço para ter acesso a conteúdo baseado em Resident Evil Revelations.

 VEJA AS IMAGENS DE RESIDENT EVIL REVELATIONS:

Tebas e Oban são os nomes dos projetos PS4 e Xbox 720

O blog de tecnologia SemiAccurate conseguiu descobrir os verdadeiros codinomes dos protótipos dos sucessores do Xbox 360 e PlayStation 3, antes conhecidos por Durango (Xbox 720) e Orbis (PlayStation 4), respectivamente.

O nome do projeto do então Xbox 720 é chamado internamente por Kryptos, e não Oban, que é na verdade o nome do chip desenvolvedor. Outra informação confirmada é que mesmo com alguns atrasos, o chip do novo Xbox será fabricado em massa a partir do final deste ano.

Já o nome do projeto PS4 é PS4 Tebas (Thebes). Não tem relação com o novo CPU e GPU da empresa AMD que o console venha a ter, porém, até a primavera de 2014 a Sony poderá fazer um anúncio.

Ou seja, de concreto é que os projetos foram apelidados de Oban, da parte da Microsoft e PS4 Tebas, da Sony. Em 2013 deve aparcer mais novidades sobre a nova geração de consoles. Afinal, já está aí, faltam pouco mais de 20 dias para virar o ano. Só resta esperar.

Como sempre a Microsoft e a Sony são um túmulo. Não comentam, não negam e nem omitem as informações.