Capa >> Arquivos de Tag: Indústria (page 2)

Arquivos de Tag: Indústria

4

Empresa espanhola de venda de jogos online chega ao Brasil

GAME BUSINESS A empresa espanhola, Descargas Online, responsável pelo site Tusjuegos.com, o portal de venda online de jogos de videogame em espanhol através de downloads legais e regularizados, lança Osjogos.com, uma loja virtual dedicada ao mercado brasileiro como primeiro passo de sua expansão na América Latina.

Os usuários e compradores do portal terão acesso às principais novidades de jogos de videogame em português, com uma gama de preços adaptada ao país, e também um atendimento personalizado. Nos próximos meses, também serão adaptados os métodos de pagamento, para permitir operações locais.

Com o mercado brasileiro em pleno crescimento e um grande potencial, a empresa quer ser reconhecida com um dos grandes players atuantes do mercado, e é por isso que Descargas Online conta atualmente com três pessoas dedicadas ao novo portal, e planeja incorporar a figura de um Country Manager nos próximos meses, com o objetivo de promover acordos com o mercado local e facilitar a integração com o mercado brasileiro.

Carlos Blanco, fundador do Grupo ITNet e principal investidor de Descargas Online, destaca a “oportunidade de entrar em um país como Brasil em um momento de rápido crescimento, superior aos 50% ao mês, para obter uma boa posição de mercado assim que o setor se estabilize,  e poder enfrentar dali a expansão até outros países da América Latina”.

A expansão internacional do modelo de negócio de Tusjuegos.com foi possível graças à entrada de novos investidores privados, por meio da Rede de Investidores de First Tuesday, após conclusão da rodada inicial de  420 mil Euros (cerca de R$ 1 milhão) captado em fevereiro de 2012.

 

SBGames 2012 tem keynotes de empresas internacionais

GAMES No fim de semana do feriado, de 2 a 4 de novembro, cinco profissionais que atuam no mercado internacional de games serão keynotes do SBGames 2012, maior e mais importante evento da América Latina na área de desenvolvimento de games e entretenimento digital, promovido pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC) e pela Associação Brasileira de Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames). Eles contarão suas experiências no mercado internacional de games e sobre as tecnologias que envolveram o mundo dos jogos eletrônicos nas últimas décadas a pesquisadores, estudantes, empresários e membros do governo que estarão no evento.

No primeiro dia, os participantes do simpósio puderam acompanhar as keynotes de Jeferson Valadares, da BioWare, que abordou o tema  Rebobinando – Minha experiência na indústria internacional de games, e de David McAllister, da Nvidia, que abordou o tema Ray Tracing nos games – Quando e por quê?

Confira os perfis e os horários dos outros palestrantes, que farão suas keynotes no sábado e domingo:

Shams Jorjani, da Paradox (Foto: Divulgação)

Shams Jorjani – Paradox

Keynote: Publishers e Indies
Sábado (03), das 12h às 13h – Auditório Planalto 

Shams Jorjani começou em 2007 na Suécia como organizador do prêmio Swedish Game Awards. Juntou-se à equipe de publicação na Paradox Interactive em 2009. Como business developer na Paradox Interactive, Shams é responsável por fazer com que projetos já existentes encontrem espaço no mercado e fazendo com que os títulos subsequentes da Paradox sigam o mantra da empresa: “Criando jogos que nós gostaríamos de jogar”.
Antes de entrar na empresa, Shams trabalhou em diversos títulos Triple A cancelados na Avalanche Studios. Shams quase se graduou no Royal Institute of Technology com diploma e engenharia – para a tristeza de seus pais.

 

Flávio Escribano, da ARSGAMES (Foto: Ángel Tirado)

Flavio Escribano – ARSGAMES

Keynote: Arte e criatividade para superar desafios de game design
Domingo (04), das 12h às 13h – Auditório Planalto

Flavo Escribano é pesquisador ligado à Universidad Complutense de Madrid (Espanha) no campo de Estudos de Games e Game Art. Ele é fundador e presidente da ARSGAMES (www.arsgames.net), um grupo de pesquisa coletiva cujo foco é na pesquisa em Game Art e estudos de games. Atualmente é professor em turmas de mestrado, seminários e workshops (Universidade Europeia de Madri, Universidade Aberta de Catalunya, Universidad Complutense de Madrid…) Ele pesquisa níveis de atenção em vídeo-games, educação e treinamento, inclusão social e arte.

Flavio colabora com várias instituições e laboratórios de pesquisa: Comissão Europeia (IPTS-JRC), AMAZE e DIGAREC (Berlim), Instituto Cervantes (Espanha), MediaLab-Prado (Madri), Intermediae-Matadero (Madri), Zemos98 (Sevilha). Atualmente também colabora na área de jogos eletrônicos do portal de jogos do Ministério da Educação da Espanha (http://videojuegos.leer.es). Flavio foi também parceiro e fundador da empresa américo-espanhola PXSP, dedicada a Consultoria, QA e Serviços de Teste, desenvolvimento de software e games e terceirização de TI.

 

Chris Crawford (Foto: Divulgação)

Chris Crawford

Keynote: Os bons velhos tempos não foram tão bons (teleconferência)
Domingo (4), das 15h às 16h – Auditório Planalto 

É difícil para os designers de games apreciarem hoje em dia quanto progresso fizemos com computadores e jogos. Nesta palestra, vou levá-los quarenta anos no passado, lá para o início de tudo, e mostrá-los como eram as coisas nos anos 70 e 80.

No processo, vocês vão aprender muito sobre como os jogos de hoje chegaram onde estão e vão ficar impressionados com o tanto que velhos game designers conseguiram com computadores tão fracos.

 

SAIBA MAIS:

  • SIMPÓSIO
  • HORÁRIO LIVRE
  • LOCAL

Horários com ingresso para o simpósio:

Sexta-feira – 02/11: 9h às 21h
Sábado – 03/11: 9h às 21h
Domingo – 04/11: 9h às 17h

Horários com entrada franca:

Sexta-feira – 02/11: 13h às 20h
Sábado  – 03/11: 13h às 19h
Domingo – 04/11: 9h às 15h

Centro de Convenções Ulysses Guimarães
Ala Sul, 1º andar, CEP: 70070-350
Brasília/DF
Site oficial: www.sbgames2012.com.br

BIG: São Paulo terá festival internacional de games

GAMES O BIG – Brazilian International Game Festival é inspirado no Festival Independente de Games de São Francisco (IGF) e visa fortalecer a produção independente de games no Brasil por meio da capacitação de profissionais, troca de experiências e intercâmbio de produtos, alé de se estabelecer como ponto de encontro e de referência para desenvolvedores de jogos nacionais e internacionais. O evento acontecerá de 22 de novembro a 02 de dezembro no Museu de Imagem e do Som de São Paulo (MIS).

Além disso,  os interessados na formação de laços profissionais e comerciais, estão abertas as inscrições para o BIG Business Forum, acontece entre os dias 28 e 30 de novembro, MIS, e permitirá ao visitante ficar cara a cara com publishers e investidores.

Entre os publishers com presença confirmada no fórum estão Amanda Cinfio, diretora da Gree International, companhia focada na criação de ecossistemas de jogos sociais para dispositivos móveis, tanto para usuários quanto desenvolvedores; Careen Yapp, vice presidente de aquisições e desenvolvolvimento de franquias da Konami Digital Entertainment Inc., Fredrik Wester, membro da diretoria da Associação Sueca de Game Developers e CEO da Paradox Interactive; Levy Buchan, gerente sênior da Chillingo, publisher de títulos independentes como Angry Birds, Cut The Rope, Feed Me Oil, entre outros, e que hoje pertence à Electronic Arts, e Jim Ying, vice-presidente da 6Waves, líder em publicação de jogos independentes em redes sociais e plataformas móveis.

O encontro de negócios e networking é mais uma das atrações do BIG. O festival irá reunir os melhores games independentes do ano no Brasil e no exterior e promover uma série de atividades. Entre elas, um desafio entre equipes (Dev Island), que ficarão 24 horas isoladas para desenvolver um jogo, workshops de jogos de tabuleiro, palestras e a apresentação de projetos ainda não finalizados ou publicados comercialmente (Demo Night).

A programação inclui atividades exclusivas para desenvolvedores iniciantes ou profissionais e outras abertas ao público, como a exposição, game play e votação de jogos participantes do festival. As vagas para o Business Forum estão abertas até o dia 2 de novembro no site http://www.bigfestival.com.br/businessforum/inscricao

 

Mais informações:
BIG – Brazilian Internacional Game Festival Data: 22 de novembro a 2 de dezembro
Local: MIS (Museu da Imagem e do Som de São Paulo)
Endereço: Avenida Europa, 158 – Jardim Europa, São Paulo/SP
Horário: das 12h às 22h (dias úteis) e das 11h às 21h (finais de semana)
Entrada: gratuita
Mais informações: www.bigfestival.com.br


Inscrições para o Business Forum no site:
http://www.bigfestival.com.br/businessforum/inscricao

Rovio, do Angry Birds, quer fazer compras

O executivo da Rovio, Mikael Hed, quer que a empresa amplie sua área de atuação, mesmo que por meio de aquisições. Ele também não descarta a venda da companhia, desde que a proposta seja interessante para a empresa. Foto: Divulgação
O executivo da Rovio, Mikael Hed, quer que a empresa amplie sua área de atuação, mesmo que por meio de aquisições. Ele também não descarta a venda da companhia, desde que a proposta seja interessante para a empresa. Foto: Divulgação

O CEO da Rovio, Mikael Hed, contou para o site AllThingsD que a empresa está preparada para fazer aquisições para ajudar no crescimento da companhia.

A empresa filandesa, que começou com apenas um jogo que fez e faz muito sucesso, o Angry Birds, começou a diversificar os negócios, entrando em mercados relacionados com os games, como animação e brinquedos. No entanto, a Rovio deverá fazer uma oferta de ações, por meio de um IPO, ainda este ano, ou em 2013, para consolidar o crescimento. “Essa é uma das áreas que estamos iniciando, para estarmos prontos para aquisições”, conta Hed.

Porém, Mikael Hed explica que a ‘preocupação dele é maior’ com o futuro da Rovio se a empresa não entrasse em novos negócios. Pois, seria um incômodo permanecer apenas no mercado de jogos. Mesmo assim, há um grande interesse de investidores pela companhia.

‘É muito regular sermos contatados por alguém que quer saber se estamos interessados [na venda]’, explica o CEO da Rovio. ‘Eu diria que há uma série de empresas muito ativas no espaço de aquisição. A Zynga é uma delas’, completa.

O CEO da empresa de games filandesa não está com pressa de vender a empresa. E até agora, não houve de fato um interesse para isso, pois as propostas enviadas não foram atraentes. Hed conta que os interessados nas aquisições enxergam apenas as receitas das empresas, não ela como um todo. Ele explica que só venderia a empresa para alguém que enxergasse o todo.

No Natal do ano passado o jogo Angry Birds foi baixado mais de 6,5 milhões de vezes. E recentemente, a Rovio fechou um acordo com o Facebook e lançou o seu principal jogo na maior rede social do mundo que tem mais de 600 milhões de usuários conectados.

Mercado de consoles vai encolher, diz desenvolvedor da Sega

Além de comentar sobre o futuro dos consoles, Nagoshi comenta sobre a quantidade de botões que os videogames de hoje têm. Foto: Divulgação
Além de comentar sobre o futuro dos consoles, Nagoshi comenta sobre a quantidade de botões que os videogames de hoje têm. Foto: Divulgação

Em entrevista ao site Computer and Video Games (CVG), o desenvolvedor da Sega, e criador de Yakuza e de Super Monkey Ball, Toshihiro Nagoshi, disse que o mercado de consoles vai ficar cada vez menor e que o mercado de portátil vai ser a grande força do setor. Leia Mais »

Acabou de chegar: Ubisoft compra a RedLynx, do game Trials

Acabou de chegar um email da Ubisoft em francês e em inglês no meu e-mail: A produtora RedLynx foi comprada pela Ubisoft nesta quarta-feira, 2. A empresa é conhecida por um dos jogos mais vendidos da plataforma Xbox Live Arcade, Trials, que foi baixado (e pago) mais de 2 milhões de vezes, tanto o jogo quanto a DLC. Por isso, a produtora não perdeu tempo e comprou a produtora. Leia Mais »

Square Enix Brasil?

Em julho, a produtora Square Enix publicou em seu site no Japão que estava procurando um brasileiro que falasse japonês fluente. Missão: garimpar oportunidades de negócios no mercado brasileiro de games. Leia Mais »

Copiando PSVita, 3DS pode ter outro analógico; Nintendo atrasa dev kits

Mesmo antes de a Sony lançar o PlayStation Vita, a Nintendo se sentiu ameaçada e fez uma manobra. O novo portátil da família PlayStation tem mais vantagem que o 3DS por um detalhe: o PSVita tem 2 analógicos. E isso, na visão dos analistas, já seria o suficiente para canibalizar o mercado da Nintendo.

Porém, segundo um especialista consultado pelo site IndustryGamers a Nintendo pode mudar o foco na produção de 3D para o portátil e acrescentar um outro controle analógico. O site Adriasang, que traduziu a informação da Bloomberg Japan, relata que a Nintendo fará um anúncio sobre o portátil em 13 de setembro, antes da Tokyo Game Show. Leia Mais »

Super Street Fighter IV vai vender muito, diz Capcom

ryukenOs japoneses de Osaka estão otimistas. O pessoal da Capcom acredita que o Super Street Fighter IV vai ultrapassar as vendas do Street Fighter IV – jogo que já vendeu mais de 2,5 milhões de undiades em todo o mundo.

Em entrevista à Eurogamer, o diretor de marketing do Reino Unido, Stuart Turner disse que “quando o o jogo é focado em novos personagens, níveis de bônus e novos modos online, Super Street Fighter IV torna-se o melhor jogo de luta em qualquer console”.

A Capcom acredita que superou a preocupação dos fãs, oferecendo mais novidades para atrair mais compradores do jogo.

Após cinco anos, Capcom vai reestruturar a empresa

capcomcrash1

Crise mundial em 2008, um 2009 em tempo de recuperação da crise para maioria da parte de cima do globo, e no Japão a diretoria da Capcom, que fica em Osaka, viu que ela vai ter que arrumar a cozinha, porque ela tá toda bagunçada. Isto é, ela vai fazer uma reorganização em toda a empresa. E como em toda reestruturação, cabeças vão rolar. E claro, novos projetos serão adiados. 2010 parece ser um ano duro para a produtora de Street Fighter, Mega Man e outros jogos.

A última vez que a Capcom entrou em reestruturação foi em 2004, quando a empresa quase quebrou. E a partir da reestruturação e a unificação de operações e até 2008, a produtora manteve ritimo de produção e crescimento. Entretanto com a crise econômica global do final de 2008, o desempenho em vendas da companhia definhou.

sedecapcom1

De acordo com a carta do Chefe Executivo de Operaçõs (COO), Haruhiro Tsujimoto, a empresa vai dar um passo atrás, voltando ao ritmo da reestruturação de 2004 para poder se recuperar e ao mesmo tempo dar a tranquilidade aos acionistas da companhia. Leia a mensagem Tsujimoto.

—-

Eu quero estender meus sinceros votos de um feliz ano novo e saudável.

A economia do Japão atualmente se beneficia de uma lenta recuperação das exportações e de produção. Mas, as perspectivas continuam incertas. Deflação e força do iene estão começando a exercer pressão sobre os lucros das empresas. Além disso, as empresas japonesas estão mantendo uma postura cautelosa sobre as despesas de capital e contratação de novos trabalhadores.

Em resposta a este ambiente operacional difícil, no final de 2009, tomamos a decisão estratégica de empurrar para trás introduções de diversos títulos de jogos importantes e tomou outras ações. Como resultado, reduziu significativamente as nossas vendas e previsões de ganhos para o ano fiscal encerrado em 31 de março de 2010.

Como COO, estou profundamente consciente da minha responsabilidade de todos os nossos acionistas, incluindo os nossos acionistas.

Na sequência da reorganização estrutural extensa de 2004, todas as unidades de negócios da Capcom e os trabalhadores têm vindo a trabalhar juntos como uma equipe unificada. Devido ao nosso trabalho duro, a Capcom tem crescido constantemente ao ponto onde estamos agora a maior produtora de videogames do mundo. Ressurgimento dramático da Capcom foi muito elogiado na indústria dos jogos de vídeo e atraiu muito interesse no mercado de ações também.

Cinco anos já se passaram desde que implementou o estrutural 2004. Durante este período, a concorrência intensificou-se a nível global. Cada uma das nossas empresas enfrenta um ambiente cada vez mais desafiador por causa desta forte concorrência global. É por isso que eu tinha que tomar a difícil decisão de reduzir as nossas previsões de negócio anterior. Chegou a hora de voltar ao básico a partir do qual começamos há cinco anos e implementar uma reorganização estrutural segundo. Eu não vejo qualquer perspectiva de um crescimento renovado se não tomarmos esta ação.

Capcom deve reforçar os pontos fortes da organização de cada divisão operacional. Isso é vital para alcançar um crescimento estável e sustentado e para aumentar a satisfação dos acionistas, clientes e funcionários. Ao fazê-lo, podemos nos tornar uma empresa que está firmemente orientada pelos conceitos de co-existência e co-prosperidade. Temos de trabalhar como uma equipe unificada para criar planos inovadores e implementar medidas e políticas distintas e, ao mesmo tempo, aumentar a rentabilidade.

Esta não é uma tarefa fácil de gestão ou de nossas divisões operacionais. No entanto, a Capcom tem a sorte de ter uma valiosa experiência adquirida com a superação de várias crises desde a fundação da empresa. Nós temos flexibilidade apoiada por uma cultura corporativa que não muda o medo. Nós também temos o poder de explorar idéias e vir acima com o conteúdo original. Estas são as características que nos apoiará como elaborar e aprovar medidas iniciais e políticas.

Como COO da Capcom, estou determinado a supervisionar as operações de nossos negócios com base no espírito do restante composto e focada durante as duas épocas boas e ruins. Vou continuar a concentrar-se na criação do curso que é necessário para superar os desafios que enfrentamos agora. O objectivo final é conseguir um crescimento sustentado e constante.

Para encerrar, gostaria de pedir o apoio de todos os interessados na Capcom, enquanto, nós, continuamos a avançar.

COO, Haruhiro Tsujimoto

INFORMAÇÕES COM GONINTENDO