Capa >> Arquivos de Tag: PSP

Arquivos de Tag: PSP

Sony lança edição de colecionador de God of War

Games Sony anuncia o lançamento de uma coleção exclusiva para a América Latina do jogo God of War, intitulada “God of War Omega Collection”. A data para disponibilidade no Brasil ainda não foi confirmada, porém, o preço já está confirmado: R$ 399.

 A edição de colecionador inclui: God of War Origins: Dois jogos de PSP remasterizados, God of War Collection: God of War 1 & 2 remasterizados, God of War 3, Estátua de Edição Limitada, Box Premium e case Steelbook que guarda todos os três discos.

 

 

Mesmo com Vita, PSP ganha novo design

Mesmo com o lançamento do PlayStation Vita, o PSP ainda segue firme, forte e popular. Segundo dados da própria Sony, já foram vendidos mais de 70 milhões de unidade do portátil. Por isso, para dar uma sobrevida e mais beleza ao pequeno PlayStation, será lançado um novo modelo com um novo design. Leia Mais »

NoReset Especial – Falando um Pouco sobre os Portateis

Olá pessoas, voltei a escrever matérias um pouco sérias, ou pelo menos tentarei debater um assunto de interesse coletivo. A E3 que rolou por esses dias mostrou inúmeros jogos, franquias que ganham continuações ou outras que nem são mencionadas, sabe se lá o motivo. Porem o lançamento do 3DS a um tempo e a amostra dos jogos que o PSVITA irá suportar quando for lançado me fez pensar em algo, já que sou entusiasta forte dos portáteis: o que vocês jogadores irão fazer com seus antigos portáteis?

"Vou converter em dinheiro e mulheres!"

Estou gerando uma discussão com base de que os novos portáteis serão adquiridos por vocês, leitores, independente das condições financeiras. Eu, por exemplo, quero correr atrás do 3DS enquanto a minha meta maior, o PSVITA não é lançado. Porem meu PSP permanecerá intocável e pretendo jogar algumas coisas nele, mesmo se futuramente o VITA permitir a emulação do mesmo. Afinal não é de hoje que uma gama de pessoas procura o Super Nintendo e outros consoles antigos (que podem ser emulados tanto em PCs quanto consoles e portáteis) para compra, logo pensem com carinho quando forem cogitar passar pra frente o seu amado companheiro de jogatina.

"Compre isso e me leve para casa, HAI!"

Aliás, gostaria de colocar uma coisa em pauta também: as pessoas que visam primeiro o portátil como uma plataforma de emulação e deixando para segundo plano o que eles são capazes de fazer. Já deixo clara a minha opinião de que é uma visão limitada de quem vai comprar o portátil, e por conta disso seu aproveitamento é mínimo (alem de desmerecer o propósito do mesmo). Não vou negar que a emulação portátil é algo funcional e divertido, porem tratar isso como motivo de compra é outra história.

"O que é isso? Ah, é um Super Nintendo!"

Não querendo gerar um texto tamanho GG, eu encerro este artigo dizendo que quanto mais tempo você puder manter seus portáteis consigo, melhor será seu saudosismo futuramente. E para dar um bônus final a esta matéria, trago a tirinha da semana como bônus para vocês, com a série “Crônicas de um Desenhista Amador” com aquele dilema: vocês são capazes de facilmente abrir mão de seus portáteis, mesmo que para suas companheiras?”

Quem nunca ficou indeciso ao emprestar seu console aqui se retire do recinto!!!

Sony apresenta o PlayStation Vita, o sucessor do PSP e jogos para PS3; Kaz Hirai pede novas desculpas por invasão na PSN

Apenas uma troca de letras define o novo portátil da Sony: o PSV, ou PlayStation Vita (‘vida’ em latim), chega com o objetivo de enfrentar o principal concorrente na categoria, o Nintendo 3DS.

O então Next Generation Portable (NGP) será integrado com PlayStation 3. Terá tela touch screen, como o portátil da Nintendo, o 3DS e a biblioteca de jogos do PSV promete atrair muitos jogadores. Games como LittleBigPlanet, Street Fighter X Tekken e BioShock Infinite, Diablo, Ruin, Metal Gear Solid Collection e mais de 80 jogos disponíveis.

O Vita tem dois controladores analógicos, mais 10 botões, tela de toque OLED (mais fina que o LCD e o LED) com 5 polegadas, conexão Bluetooth e suporte a Wi-Fi e tem opção de 3G . O PSV roda com processador ARM Corte-A9 core de 4 núcleos, produzido em conjunto com a IBM, uma GPU SGX543MP4+ e contará com a nova interface LiveArea que substitui a XrossMediaBar, atualmente utilizada no PlayStation 3 e PlayStation Portable. Ou seja: a navegação será mais ágil e eficiente.

O PS Vita também terá integração com redes sociais e a Sony criará uma rede própria, que foi batizada de Near (‘Perto’ em português). A Sony aposta no preço para arrebatar fãs: US$ 250 (com wi-fi) e US$ 300 (com 3G, via operadora AT&T). A Nintendo vende o 3DS entre US$ 250 a US$ 300. E tudo isso no mercado no exterior, os preços não valem para o Brasil.

A familia PlayStation ganha uma linha de televisores tridimensionais em que duas pessoas podem jogar diante da TV sem ter a tela dividida. A Sony promete vender no mercado a US$ 500, com o objetivo de popularizar os jogos em 3D.

O presidente da Sony Computer Entertainment of America (SCEA), Jack Tretton, comemorou o feito de que o periférico controle de movimentos PlayStation Move vendeu 8,8 milhoes de unidades.

Já pelo console PlayStation 3 jogos como inFamous 2, LittleBigPlanet 2 e Star Trek terão suporte ao controle de movimentos PS Move. Além de SSX, Need for Speed: The Run, Sly Cooper: Thieves in Time e o exclusivo DUST 514, no qual a imprensa especializada qualificou como ‘semelhante’ a série Halo, do Xbox 360, terão presença no console da Sony.

Além disso, durante a apresentação, a Sony procurou mostrar que está correndo atrás do prejuízo, após a invasão e o roubo de dados no sistema PlayStation Network (PSN). O presidente global da companhia Kazuo Hirai diz que aprendeu com o episódio, e mostrou novamente um pedido de desculpas públicas sobre a derrapada que Sony deu na insegurança da rede do PS3.

Veja como foi a conferência da MicrosoftVeja como foi a conferência da Nintendo

PSP 2 no dia 27 de janeiro

Segundo as fontes do site MCV, finalmente o mundo vai conhecer o PlayStation Portable 2. A Sony convocou a imprensa para um evento no Japão no dia 27 de janeiro.

Os rumores apontam que a Sony vai confirmar a existência do novo portátil sucessor do então PSP.

Produtoras informaram que no ultimo ano a Sony trabalhou em conjunto para a criação de títulos para o novo dispositivo.

Agora é esperar para ver se não vai ser mais uma boataria barata.

INFORMAÇÕES COM MCV

Primeiras Impressões – Monster Hunter Portable 3rd

E ai, senhores? Estava mexendo com meus botões, e lembrei que fazia tempo desde a minha ultima análise de jogos que estão por vir. Então aproveitei este tempo livre para pegar alguns jogos que estarão disponíveis para o PSP em breve, mas hoje falarei apenas de um em específico, de uma franquia que me cativou e me viciou extremamente. Sim, estamos falando de Monster Hunter Portable 3rd.

"YES!!!"

Pude colocar as mãos no demo disponível hà algum tempo, neste demo há duas opções de caçada, em uma o monstro a ser caçado é o Royal Ludroth, no cenário “Deserted Island”. O outro é o Ice Barroth, no cenário “Tundra”. Em cada um destes cenários, você deve escolher as armas e armaduras, que já vem pré-selecionadas. Eu senti falta de ter a Gunlance, a Bow e o Hunting Horn. Alem disso, há o pulo do gato literal, pois você deve escolher dois Felynes para lhe ajudar na caçada, e realmente ajudam. Há 3 tipos, um é visado em ataques de curta distância, outro usa Small e Large Bombs, e o ultimo usa ataques a longa distância e Flautas que aumentam seu status ou atributos. Você pode bancar o machão e não escolher nenhum, mas é claro que você não vai deixar os gatinhos sozinhos, não é?

"Olha que meiguice =3"

Quanto aos monstros, há uma disparidade imensa entre os dois, já que enquanto o Royal Ludroth tem ataques lentos e fáceis de serem evitados, Barroth é extremamente forte, possui muitos ataques, entre eles o famoso grito que te deixa atordoado por uns segundos, e um “arrastão” difícil de ser evitado. Esse eu não consegui vencer…ainda.

Na parte de exploração do cenário, uma inclusão fez toda a diferença. Antes, você devia procurar que nem louco pro lugares que permitiam a extração de itens, agora quando há um lugar desse tipo, aparece o ícone do item a ser extraído, facilitando muito a localização dos mesmos. E antes, quando chegava nos lugares onde era necessário algo como Pickaxes ou Bugnets para a extração de itens, você primeiro escolhia o equipamento e depois apertava o quadrado. Agora, se você tiver o equipamento e estiver no local indicado pelo ícone, só apertar o circulo que a extração do item acontece, enquanto tiver o equipamento. Muito mais pratico e rápido.

"Procurar itens, você deve !"

Quanto às armas, testei apenas a Long, Great e Dual Swords, Heavy e Light Bowguns, e a Switch Axe. A Long Sword tem muitas melhorias, uma delas é a possibilidade de dar o golpe com esquiva (triangulo+circulo) se esquivando também para os lados. Quando a barra de Spirit está cheia e você executa todo o combo, ao final um golpe horizontal circular para frente é executado, mudando a cor da barra de spirit (há duas mudanças de cor), e creio que isso influencie no dano causado. A Great Sword eu vi uma melhora, o fato de que você pode executar um ataque carregado depois de dar um golpe comum com o circulo. Usar Dual swords me proporcionou muitas surpresas, uma delas é o aumento de golpes executados normalmente, e no “Demonization Mode”, alem de neste modo ser possível dar uma espécie de “dash” em direção ao inimigo. Afinal quem nunca passou raiva ao ficar andando lentamente no “Demonization Mode”? Quanto às armas do tipo Bowguns, a mira mais simplificada me chamou a atenção, mas foi só isso, já que não curto jogar com Bowguns. E o Switch Axe…bom, como eu nunca havia jogado com ele, não senti nada de novo, mas não curti jogar. Prefiro ainda a Long Sword.

"Dá um ligo na minha faquinha"

Chega de falar de um demo, isso só mostra o quão empolgado estou com este jogo. Uma pena que uma possível versão americana irá demorar para chegar, enquanto a versão para o Japão estará a venda no começo de Dezembro. Enquanto isso, visitem a Wikia de Monster Hunter para saber mais coisas deste universo fantástico:

http://monsterhunter.wikia.com

Fiquem com um video demonstrando um pouco do gameplay do jogo:

Monster Hunter – Funciona no Brasil?

Olá senhores e senhoritas. Normalmente venho aqui escrever resenhas novas ou nostálgicas, ou mostrar minhas tirinhas, porem irei abrir um parêntese para uma discussão envolvendo uma franquia extremamente famosa no Japão, porem que é pouco aproveitada aqui no Brasil. Sim, falo da franquia Monster Hunter.

"Hora da caça!"
"Hora da Caça!"

Monster Hunter é o que podemos apontar como o ponto chave que alavancou a Sony em alguns aspectos, e o primeiro deles é o esquema de captura e caça aos monstros, coisa similar aparecendo com mais evidência até então somente em Pokemon e talvez em outros jogos de menor fama. Você está na pele de um Hunter (caçador, em uma tradução literal) que deve cumprir missões, que envolvem a caça e/ou captura de monstros. Na sua estréia no PS2, outro fator foi decisivo para a franquia s difundir violentamente no Japão, que é a jogatina online, fornecida através de servers do próprio console. Como vocês devem saber, o japonês preza bastante a jogatina em grupos, fator que alem de fazer popularizar a série, fez ela não vender tão bem fora do continente asiático, popularidade que caiu ainda mais ao ser desligado permanentemente todos os servidores na América do norte e Europa.

"...bicho folgado!"

A meu ver, o grande pulo do gato da Capcom foi ter migrado a franquia também para o portátil da Sony, na versão Monster Hunter Freedom/Portable, trazendo a mesma jogatina online através de conexão ADHOC (ou seja, conexão local). Aí que vem o X da questão: este tipo de jogo funciona aqui no Brasil?

"#$%@!!!"

Para os já habituados com a série, sabemos que é comum passarmos um bom tempo em apenas uma missão, e que executamos as mesmas no aconchego do lar, logo não iremos nos dar ao trabalho de sair das nossas casas e ir visitar alguém apenas para jogar. E outro fator relevante que faz com que poucas pessoas joguem algum jogo da franquia é a longa duração e a repetição de inúmeras missões e monstros, que faz o jogador se desmotivar facilmente, alem da alegação dos jogadores da falta de enredo.

Para os que querem jogar sozinhos, eu aviso: tem que se dedicar bastante, pois se você é do tipo que vai avançando no jogo apenas para ver o final e não foca na evolução do equipamento de seu personagem, não irá avançar muito. O jogo te faz repetir algumas quests para obter alguns itens indispensáveis para a síntese de uma arma ou equipamento melhor, fato que também desmotiva o jogador. Afinal repetir o mesmo monstro não é lá tão emocionante, não é?

"Tome isso, pela 357525689ª vez!!!"

Porem se quer um elemento que possa ajudar na diversão é o modo multiplayer do jogo. Podemos dizer que mesmo sendo um jogo de uma pessoa, Monster Hunter foi feito para ser multiplayer, possibilidade viável através do modo ADHOC citado mais acima, no caso dos portateis. Se você é um aficionado pelo jogo, mas não acha gente perto com um PSP para jogar juntos, uma maneira encontrada para se jogar online é através do programa X Link Kai, usando um conector USB e um plugin para que a conexão na rede seja feita através do cabo. Para maiores detalhes vejam o tutorial feito no fórum do site News Inside bem aqui. Fiz o passo a passo e consegui jogar Monster Hunter Freedom 2 junto do @mencel_mcgregor, funcionou que é uma beleza, e realmente é outra experiência a jogatina online.

Trenya =3

Portanto, Monster Hunter não é uma franquia casual, que for jogar tem que se dedicar bastante na jogatina, se for jogar tanto de um ou de mais pessoas. Se for jogar de mais pessoas, me chama =D (@wesley__pires).

Multiplayer =D

Tirinhas NoReset – PSP ataca de novo

bannernoresettirinhasOlá pessoas queridas, como estão?

De novo o tempo que me é pouco não deixou eu atualizar nas outras semanas, e peço desculpas por este fato. Até fiz a tirinha da semana parodiando isso, olhem ai:

Tiras - PSP 2

E não sei se todos sabem, mas o podcast NowLoading entrou em hiato, sem tempo determinado de volta. E como podem ver no Twitter através da tag #VoltaNowLoading a procura pela volta deles está grande. Então eu deixei um desenho simples aqui motivando a volta deles:

Volta NL

Pois é gente, divulguem o #VoltaNowLoading e tambem o #noreset, claro =3. Se não divulgarem, irei fazer isso e gravar:

"...que horrivel!"
"...que horrivel!"

Review – Age of Zombies

analise_noresetVocê é do tipo que curte todo o universo que envolve os zumbis, acompanha os filmes tematizados que saem a todo tempo, principalmente os clássicos de George Homero, e se deliciou jogando clássicos como “Zombies Ate My Neighbours” no Super Nintendo e com a aclamada série “Resident Evil”, e principalmente se você gosta de jogos despretensiosos, Age of Zombies é pra você.

aoz03
"Miooooooooooolos!!!"

Age of Zombies é um dos mini-games disponíveis recentemente na PSN para o Playstation 3 e PSP através da Halfbrick Studio, estúdio conhecido por fabricar minigames desse naipe. Você está no comando de Barry Steakfries, que de acordo com o game é um “Badass Hero” que viaja no tempo destruindo zumbis que estão interferindo em outras épocas.

"Queimem, malditos zumbis!!!"
"Queimem, malditos zumbis!!!"

A mecânica é bem simples, a movimentação é com o analógico e você atira usando os 4 botões padrões (quadrado, triangulo, bola e X) e cada botão atira para uma direção, como se fosse o direcional mesmo. Você entra em um vortex temporal e entra no estagio, onde você tem a visão de cima, e através de outros vortex surgem os zumbis a serem mortos. Você tem que matar eles até a barrinha verde na esquerda se esvaziar, para isso vai surgindo armas novas a todo momento, como a SMG, Shotgun, Granadas entre outras. Detalhe que em cada época o modo de falar o nome da arma é diferente, e os zumbis são tematizados, podemos ver até zumbis das cavernas, da máfia e até T-Rex zumbis.

"Ops, estou cercado!"
"Zumbis orientais?!"

Não espere tramas super desenvolvidos, pois no fim é um ótimo divertimento casual em cima de uma temática interessante, que é a temática zumbi. Você terminará ele rapidamente, em menos de meia hora, porem irá querer jogar ele quando tiver a fim de jogar alguma coisa sem compromisso, portanto vale a pena adquirir para seu PS3 ou PSP. Eu mesmo completando ele, esotu me divertindo a valer nas horas…fecais =D.

...zumbi?!
...zumbi?!

Freekscape – Jogo brasileiro na PSN

games_noresetOlha só que bacana, pessoal!

Foi lançado ontem, na PSN, o primeiro jogo brasileiro para PS3 e PSP desenvolvido por uma produtora brasileira, a Kidguru Games, que fica em São Paulo.

O game se chama Freekscape e o protagonista é o diabinho Freek, que parece estar tentando fugir do inferno para chegar ao paraíso. Tudo fica mais fácil quando ele encontra um tridente mágico, que o permite espetar os inimigos para usá-los como ferramentas. O jogo é de plataforma e o  jogador deverá pensar em quais inimigos espetar e qual a melhor maneira de usá-los a cada momento, para avançar.

Dá para ver que Freekscape tem um tom mais cômico e o estilo de jogo + gráficos coloridos me lembraram Crash Bandicoot, o que é uma coisa boa se ele for tão divertido quanto. Em uma época de games que se levam super a sério, jogos que proporcionam uma diversão despretensiosa acabam trazendo um pouco de frescor à indústria. Pelo menos na porção de mercado que compete à Sony e à Microsoft, já que a Nintendo nunca parou de apostar na “casualidade” (odeio esse rótulo) e se deu muito bem com isso. rsrs

Freekscape está saindo por U$5,00.

Vejam a notícia sobre o game e uma conversa com os criadores de Freekscape aqui: Uol Jogos.

%d blogueiros gostam disto: